19.5 C
Brasília
janeiro 8, 2022
Home » Ação da Stone cai 40% neste ano devido originação de crédito
Notícias

Ação da Stone cai 40% neste ano devido originação de crédito

Stone teve prejuízo no segundo trimestre: a pequena máquina verde perdeu dinheiro no crédito, acumulou reservas e ordenou a suspensão de novas operações de franquia, mas ainda não conseguia prever quando iria operar e ter lucro.

O mercado esperava que os resultados fossem fracos, mas os números ainda surpreendem. No BTG, o analista Eduardo Rosman reduziu as projeções de lucro da empresa para 2021, 2022 e 2023 em 61%, 29% e 21%, respectivamente. Rothman baixou seu preço-alvo de US $ 95 para US $ 75, mas manteve a “compra” no papel. Em Nova York, o preço das ações da Stone caiu 4% no pregão normal e 40% durante o ano, antes de cair 5% após o mercado.

Stone registrou lucro de 526 milhões de reais no trimestre, mas esse valor foi compensado por um valor de mercado de 836 milhões de reais que Stone comprou da participação de 5% do Banco Inter no capital – esta é uma receita contábil não recorrente. Excluindo este fator, o prejuízo líquido ajustado chega a 150 milhões de reais.

 

O principal motivo do fraco desempenho foi a perda de aproximadamente 400 milhões de reais na carteira de crédito. A fonte do problema: a empresa tem dificuldade de navegar no novo cenário, e as três centrais de contas a receber que deveriam se comunicar não se falam, causando problemas na execução da garantia. a carteira de investimentos de 2 bilhões de reais e a suspensão de direitos de novas concessões.

“Se esta empresa atinge lucro zero ou prejuízo de 200 milhões de reais, não há diferença conceitual: a maior dúvida é se o problema foi corrigido, se todos os preparativos foram feitos e se a equipe da Stone tem futuro. operar um negócio de crédito ”, disse o analista responsável pela empresa.Até recentemente, os analistas modelavam que o crédito responderia por 30% a 40% do valor da empresa — daí porque, dada a queda do papel no ano, boa parte do problema já parece precificado, ainda que permaneçam as dúvidas sobre quando a operação de crédito estará rodando sem percalços.

“Reconhecemos que cometemos erros em nossa execução de crédito, principalmente sem prever como o mau funcionamento do sistema de registro poderia prejudicar nossos negócios,” o CEO Thiago Piau disse na call de resultados. “No entanto, essa situação também trouxe uma quantidade impressionante de aprendizados que usaremos como combustível para impulsionar a construção do que imaginamos ser uma solução de crédito muito melhor.”

“A Stone está colocando a culpa na central, mas a verdade é que muitos investidores estão com dificuldade para entender se a culpa foi da central ou da Stone,” diz outro analista que cobre o papel, confessando que até o tem tido dificuldade para entender o problema no detalhe. Há alguns dias, a companhia chegou a publicar um paper técnico para explicar como as centrais funcionam.

Com os problemas, a Stone parou de originar novos empréstimos em julho, o que deve levar as receitas de crédito a quase zero no terceiro tri — “e ao que tudo indica deve demorar mais 3-6 meses para retomar a concessão de empréstimos,” escreveu Rosman.

 

Related posts

Ton Altera Taxas e Valor da T2 Neste Mês de Novembro de 2021

Gabriel Holanda

A Zettle by PayPal fecha parceria com Digital Web

Elievelton Edimar

PagSeguro lança conta digital PagBank para bater de frente com NuConta

Elievelton Edimar